Litotripsia para Doença de Peyronie. Tratamento Científico Sem Cortes e Sem Internação.

Litotripsia para Doença de Peyronie. Tratamento Científico Sem Cortes e Sem Internação.

Se você procura um tratamento para a Doença de Peyronie que não seja cirúrgico, mas com embasamento na literatura médica científica, você precisa conhecer a Litotripsia por Ondas de Choque (LECO), um procedimento que pode ser utilizado para tratamento da dor, para diminuir o tamanho da placa e da curvatura e para auxiliar na resposta erétil a essa questão.

A literatura internacional está a disposição para consulta no final do Post.

 

Tratamento Não Cirúrgico da Doença de Peyronie

 

O tratamento da Doença de Peyronie (DP) utiliza muitas ferramentas que incluem terapias cirurgias e clínicas, além de técnicas que poderíamos chamar de mecânicas.

Assim, dentre o grande leque de opções, pode ser indicado apenas observação, administração de medicamentos orais, tópicos ou intra-lesionais, terapias que tentar destruir a placa ou desorganizá-la e cirurgia.

Aconselhamento e observação podem ser importantes para homens com pequena curvatura e baixo impacto em suas vidas sexuais, mas muitos outros precisarão de ao menos uma forma de tratamento clínico ou não cirúrgico.

Dentre a as forma não cirúrgicas um método que tem se destacado positivamente na literatura médica urológica mais recente é  a Litotripsia Extra-Corpórea por Ondas de Choque.

 

litotripsia

 

 

Como é o Procedimento?

 

O procedimento da Litotripsia para a Doença de Peyronie é minimamente invasivo e realizado sem necessidade de internação ou anestesia. A duração é de cerca de 1 hora com aplicações semanais por até 6 semanas.

Os resultados podem ser notados cerca de 30 dias após o início das primeiras aplicações.

 

 

O que se espera desse procedimento?

 

De acordo com os estudos publicados há grande satisfação com os resultados já no curto prazo, diminuição das curvaturas em até 30%, melhora da dor por efeito de hiperestimulação local, amolecimento das placas, além de sua diminuição.

Com esse processo acredita-se que é possível diminuir o tamanho das placas com melhora da curvatura e interromper a disseminação da placa pelo corpo cavernoso afetado.

Dessa forma e por motivos diferentes, o procedimento pode ser indicado tanto na fase aguda quanto na fase crônica da doença.

 

 

Quem NÃO se beneficia com o procedimento?

 

Pacientes com curvaturas muito grandes ou em mais de um eixo e que não possuem dor na região das placas.

 

 

Onde posso consultar a Literatura Científica sobre o procedimento?

 

A literatura está à disposição nos buscadores utilizados para pesquisas médicas e científicas. Abaixo estão os textos mais relevantes e, a partir deles, basta navegar para outros que possam ajudá-lo a complementar sua avaliação:

 

1.Peyronie’s disease and low intensity shock wave therapy: Clinical outcomes and patient satisfaction rate in an open-label single arm prospective study in Australian men

 

2. Evaluation of clinical efficacy, safety and patient satisfaction rate after low-intensity extracorporeal shockwave therapy for the treatment of male erectile dysfunction: an Australian first open-label single-arm prospective clinical trial.

 

3. Pro: does shockwave therapy have a place in the treatment of Peyronie’s disease?

 


 

Saiba mais

 

Doença de Peyronie. O que é e Porque Aparece

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A DOENÇA DE PEYRONIE

Impotência e Doença de Peyronie. Um Guia sobre como e onde Tratar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *