Fertilidade, Vasectomia e Reversão.

Fertilidade, Vasectomia e Reversão.

A realização da vasectomia é um procedimento simples e bem padronizado, mas toca profundamente na essência do ser humano e envolve um sem número de decisões e debates ainda não totalmente resolvidos. A recuperação da fertilidade pela reconstrução dos ductos seccionados pela vasectomia é certamente um desses tópicos, merecendo reflexão e conscientização dos pacientes.

 

 

Quais são as grandes questões?

 

As perguntas mais freqüentes se referem a possibilidade de reversão da vasectomia e de seus resultados. Não é incomum a pergunta: Doutor, a vasectomia é reversível, não é? Quando eu desejar, posso reverter? A vasectomia funciona mesmo?

 

Pois bem, a vasectomia é um método seguro, rápido e barato quando comparado aos outros métodos contraceptivos. Um procedimento leva apenas alguns minutos, no qual praticamente não existem complicações, pode ser realizado com anestesia local e a atividade sexual desprotegida pode ser retomada após a realização de um exame simples, o espermograma. O procedimento implica em seccionar e ligar os ductos que transportam os espermatozoides, a interrupção desta linha de tráfego implica em praticamente 100% de efetividade em prevenir uma gestação. Desta forma , a vasectomia deve ser considerada e oferecida como um método definitivo de contracepção.

 

 

Mas é reversível ou não?

 

Sim é reversível, mas ser reversível não significa propriamente em possibilidade de gestação. Com o passar dos anos a possibilidade de uma reversão com sucesso associada a boas taxas de gestação diminuem e em algumas situações é necessário até mesmo o auxílio de métodos de gravidez assistidos.

 

A reversão também não é um método tão simples quanto a vasectomia: são necessários dois cirurgiões, auxílio de microscopia, anestesia geral e habilidade médica para decidir por uma de duas técnicas principais, a vaso-vaso anastomose ou a vaso-epidídimo anastomose. Esta decisão é tomada apenas no intra-operatório, após a análise do líquido aspirado dos ductos condutores do esperma e de sua análise em microscópio.

 

Caso seja necessário o segundo procedimento( a vaso-epidídimo anastomose), serão cerca de 4 horas de cirurgia e uma recuperação um pouco mais demorada. Os resultados são melhores quando a reversão é realizada em até 15 anos após a vasectomia. Após os 15 anos deve-se também cogitar a realização de reprodução assistida. Antes dos 15 anos, pode-se dizer de forma simplificada se alcança 80 a 90% de recuperação da ejaculação com espermatozoides e gravidez em até 50% dos casos, quando as tentativas ocorrem entre 1 e 2 anos após a reversão. Parece pouco, mas é bastante animador quando comparado com outros métodos, muitas vezes bem mais caros e com resultados bastante inferiores.

 

Assim, apesar da vasectomia ser procedimento simples e rápido, sua reversão não pode ser totalmente garantida, além de implicar em habilidade técnica específica para a realização dos procedimentos e em custos bastante elevados.

 

A reversão, contudo, permite a concepção de forma natural, permitindo a seleção dos melhores espermatozoides até a fecundação do óvulo pelo mais apto entre todos. Ademais, a reversão é superior  aos métodos não naturais de concepção quando avaliamos os resultados (e mesmo os custos) quando o paciente tem até 15 anos de vasectomia.

 

 

Mais Informações

 

www.plannedparenthood.org — Planned Parenthood

www.fhi.org — Family Health International

www.auanet.org — American Urological Association

www.urologyhealth.org — Urology Health

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *