Como Escolher Entre Prostatectomia Aberta x Robótica? Aprenda Aqui

Como Escolher Entre Prostatectomia Aberta x Robótica? Aprenda Aqui

A decisão em realizar uma prostatectomia para doença maligna da próstata é sempre muito difícil, dada a quantidade de informações disponíveis na internet, ou vinda de médicos, amigos e familiares.

Eu preparei esse guia para ajudá-lo a organizar todas essas informações e para que tenha autoridade para decidir, juntamente com seu urologista, a forma de tratamento que mais bem se adapta a sua realidade ou estilo de vida.

Ao final desta leitura, você se sentirá muito mais confortável para tomar uma decisão embasada, ou para solicitar com objetividade outras informações.

Ao final, deixo minhas impressões pessoais sobre os procedimentos e uma ideia de custos hospitalares e ganhos pessoais com cada procedimento. Tudo organizado em uma tabela.

Boa leitura!

 

 

Em julho de 2016 um artigo científico de excelente qualidade publicado no Lancet comparou as duas técnicas em um seguimento de pacientes por 3 meses. Não foram encontradas diferenças estatísticas entre as duas técnicas relacionadas ao resultado oncológico, impotência, incontinência. Pacientes submetidos à prostatectomia robótica sangraram 3x menos e tiveram menos dor do que pacientes submetidos à prostatectomia aberta

 

Existem diferenças em muitos outros aspectos e vamos entendê-los aqui.

 

A prostatectomia robótica é um procedimento minimamente invasivo, e por esse motivo os pacientes apresentam trauma abdominal menor em decorrência das incisões menores quando comparadas à incisão da prostatectomia aberta.

 

Em decorrência disso, muitos pacientes referem maior satisfação com as incisões da prostatectomia robótica, tanto esteticamente, quando em tempo necessário para a recuperação.

 

Eu costumo deixar isso mais palpável comparando os resultados de outro procedimento, a colecistectomia (extração vesícula biliar). Antigamente todos os procedimentos eram realizados com cirurgia aberta, mas atualmente praticamente todos os procedimentos são laparoscópicos. A recuperação e o resultado estético dos procedimentos modernos são incomparavelmente melhores do que os da colecistectomia com corte.

 

Na prostatectomia, a diferença entre a via com aberta e a robótica não é tão marcante, mas é intuitivamente superior pela via robótica e recuperação estudos referem recuperação mais rápida e menos incomodo com a via robótica.

 

 

operando 2

 

 

Como são as incisões na prática?

 

A incisão da prostatectomia aberta é realizada logo abaixo do umbigo e corre em direção à base do pênis.

Na prostatectomia robótica são realizadas 5 incisões pequenas, sendo uma na cicatriz umbilical.

Há uma outra diferença que sempre é destacada entre as técnicas, a perda sanguínea. Na cirurgia a aberta a perda sanguínea é maior do que na prostatectomia robótica. Essas perdas, contudo, não são suficientes para indicarem transfusões sanguíneas, raras em ambas as técnicas, mas em centros com baixo número de cirurgias, as transfusões podem ser tão altas quando 40%.

 

 

Magnificação do campo operatório

 

Com a cirurgia robótica há uma magnificação do campo operatório que permite visualização muito aprimorada do campo operatório e preservação muito mais cuidadosa do feixe nervoso que provocam as ereções. Essa magnificação, contudo, não consegue preservar a potência em mais pacientes do que a cirurgia aberta sem a magnificação.

 

A magnificação também não muda os resultados em relação à continência se comparamos os pacientes com mais de 3 meses da cirurgia. A impressão, contudo, é de que pacientes submetidos à prostatectomia robótica recuperam a continência muito antes do que os pacientes submetidos à prostatectomia aberta. Isso, inclusive, entra como um dos meus critérios para escolha entre as técnicas: pacientes mais velhos ou com doenças que possam prejudicar a recuperação da continência, podem escolher a prostatectomia robótica para tentarem tudo para a recuperação mais adequada da continência.

 

 

Além dos resultados das técnicas operatórias o que mais deve ser considerado para uma boa escolha?

 

Fatores importantes a serem considerados devem passar por um cirurgião com experiência preferencialmente em ambas as técnicas para que ocorra liberdade de escolha em favor do paciente e para que qualquer situação possa ser resolvida a qualquer momento do tratamento.

 

Um urologista dedicado deve conhecer as vantagens de desvantagens entre ambas as técnicas e deve ser hábil em responder as questões de seus pacientes em detalhes. A presença desse profissional na fase de decisão e no momento do tratamento e recuperação é essencial para o sucesso do tratamento. O paciente não deve nunca sentir-se com pressa para tomar uma decisão.

 

O time selecionado por esse urologista deve, também, estar disponível e treinado em ambas as técnicas. Uma opção muito interessante e eficiente, é a formação de uma equipe diferente e dedicada a cada técnica.

 

Outra questão muito importante é a escolha de um hospital que tenha equipe de enfermagem dedicada aos cuidados de pacientes urológicos. Esse cuidado faz muita diferença durante o pós-operatório e é o motivo de urologistas realizarem prostatectomias radicais em um número muito limitado de hospitais.

 

A Prostatectomia Robótica por ser um procedimento relativamente novo, quando comparado a cirurgia aberta, está cercada de alguns mitos.

 

 

Robotic-Prostatectomy

 

 

Vamos aos mitos?

 

#1 – Não existe mais cirurgia aberta nos EUA

 

Nos Estados Unidos, cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata ainda são submetidos à prostatectomia aberta. Para que 80% da população com o câncer seja submetido ao tratamento robótico, eles tem a disposição mais de 2100 sistemas robóticos.

 

Na Europa apenas 30% dos pacientes realizam cirurgia robótica, 70% realizam cirurgia clássica aberta.

 

# 2 – Com a prostatectomia robótica, os pacientes retornam ao trabalho no mesmo dia e não sentem dor

 

Bem, os pacientes sentem menos incomodo, recebem alta antes e a sonda vesical também é retirada precocemente, mas os pacientes precisarão de ao menos 10 dias de repouso relativo.

 

 

# 3 – Como na prostatectomia robótica o cirurgião não “sente” o tumor com as mãos, o procedimento acaba sendo pior

 

Na verdade os resultados são iguais do ponto de vista oncológico, provavelmente a magnificação compensa a falta do tato durante o procedimento.

 

# 4 – E os resultados financeiros para o seu bolso ? São diferentes ?

 

Sim, a cirurgia robótica acaba sendo mais cara do que a prostatectomia aberta, porque os pacotes oferecidos para a prostatectomia robótica não são totalmente cobertos pelos planos de saúde. Se considerarmos os 4 melhores hospitais de São Paulo que possuem robôs, os valores de pacotes para cirurgia robótica são cerca de 20% mais caros do que os pacotes para cirurgia aberta. Contudo, seu plano cobrirá, em geral, apenas metade do pacote robótico.

 

Muito Bem…se os resultados são semelhantes e a cirurgia robótica é mais cara, por que realizá-la? Como essa pergunta é muito recorrente, decidi fazer um resumo de tudo o que foi dito para enfatizar as diferenças entre as técnicas.

 

Comparando Prostatectomia Robótica x Aberta

  Robótica                         Aberta
Tempo de Internação                                                  2 dias 2 – 3 dias
 

 

Velocidade da Recuperação da Continência ++++ ++
 

 

Recuperação da Potência +++ +++
 

 

Tempo com a Sonda 7 dias 10 dias
 

 

Perda Sanguínea + ++
 

 

Resultado Estético ++++ +++
 

 

Dor + ++
 

 

Preço do Hospital ++++ +++
 

 

Honorários Médicos +++ +++

 

 

Uma última questão

 

Acho que com a tabela acima ficou um pouco mais organizado, não ficou?

Bem, há outra questão que gosto de expor para ser levado em consideração aos meus pacientes – nesse ponto específico ela vai contra a cirurgia robótica.

Atualmente está se descobrindo, com cada vez maior consistência, a importância da retirada dos gânglios em pacientes com tumores mais agressivos.

Veja isso: recentemente o Estudo de PET com PSMA tem ajudado os urologistas a determinar quem deve realizar a retirada desses gânglios anos depois quando os mesmos não foram retirados durante a cirurgia. Assim, pacientes com tumores mais agressivos e com um risco maior de recidiva devem realizar a linfadenectomia no momento da cirurgia para a retirada da próstata.

Desta forma, quando definimos que a linfadenectomia estendida é importante para um paciente, costumo indicar que o procedimento de escolha seja a prostatectomia aberta, pois com ela, tanto a retirada da próstata quanto a retirada extensa de todos os gânglios do retroperitônio,  é eficiente e definitiva.

 

Leia Mais

 

Guia Completo sobre o Câncer de Próstata Recém Diagnosticado

Tratar Impotência após Prostatectomia Radical: Reabilitação Peniana

Biópsia de próstata. Por que fazer, como é realizada e seu resultado

O que é a próstata?  Qual o seu tamanho, função e problemas do crescimento

Prótese Peniana para Disfunção Erétil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *