Diabetes e Disfunção Erétil. O que está ocorrendo?

Diabetes e Disfunção Erétil. O que está ocorrendo?

A impotência sexual é a incapacidade ou dificuldade em ter ou em manter uma ereção do pênis que permita ter uma relação sexual satisfatória com penetração.

 

Este é um problema que pode afetar homens em qualquer idade, porém ele é mais comum em homens após os 50 que prejudica não só a vida sexual, mas a saúde psicológica e social.

 

No caso de pessoas diabéticas os sinais e sintomas de disfunção erétil ou impotência costumam ocorrer 10 a 15 anos antes do que na população normal. Além disso, o quadro costuma ser mais grave e responder de forma menos eficiente aos tratamentos disponíveis.

 

Acredita-se que não é somente a glicemia elevada que provoca todo o quadro de disfunção erétil. Os próprios medicamentos utilizados por pacientes diabéticos podem potencializá-lo e a comprovada associação de outras condições, como o sobrepeso, os quadros depressivos, dislipidemia, e o tabagismo, fazem com que disfunção erétil seja mais importante nos Diabéticos.

 

Como o Diabetes afeta as Ereções.

 

O diabetes provoca um ataque maciço no que se diz respeito às ereções, pois ele pode afetar toda a rede promotora de ereções.

Assim, o diabetes afeta a microvasculatura dos corpos carvernosos diminuindo a entrada de sangue que provocam ereções. Causa alterações no sistema nervoso periférico(neuropatia) que dificultam a transmissão do sinal para as ereções se desencadeiem, há diminuição dos níveis de testosterona, hormônio importante em todas as fases do processo de ereção e há acúmulo excessivo de radicais livres que causam dano local no tecido peniano, que em última análise dificulta a circulação sanguínea e pode provocar deformidades.
Desta forma, o diabetes atua em muitas frentes que causam uma disfunção erétil mais grave e mais precoce, mas as consequências globais não param por aí: pacientes Diabéticos e com início ou piora recente das ereções possuem chances maiores de infarto do miocárdio, derrames e angina.

 

Nesse sentido a Disfunção Erétil pode auxiliar na prevenção dessas condições que ameaçam a vida. Como as artérias penianas são muito menores do que as artérias coronárias, o estreitamento ao fluxo sanguíneo ocorre primeiramente nas artérias do pênis e pacientes nessa situação que são encaminhados a um cardiologista para avaliação podem ter suas vidas salvas por conta do alerta desencadeado pela piora das ereções.

 

Tratamento

 

O tratamento dos pacientes com disfunção erétil ou impotência e Diabetes possui algumas particularidades.

 

Em homens sem diabetes o tratamento possui algumas etapas que podem ser negligenciadas para uma resultados mais rápidos e que provocam ânimo para seguirmos em frente com outras medidas. O tratamento dos pacientes com disfunção erétil ou impotência e Diabetes possui algumas particularidades.
No caso de homens diabéticos, é preciso um grande cuidado em se verificar o nível de segurança em relação aos eventos cardiológicos que podem surgir. Como essas pessoas tem um predisposição maior ao infarto e ao derrame, sua avaliação cardiológica precisa estar em dia e ser bem feita.

 

Um segundo ponto relevante é procurar ajustar os medicamentos em uso para que ocorra o mínimo de efeito deletério na ereções. Aqui uma lista de medicamentos que podem provocar piora da impotência: https://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/004024.htm

 

O terceiro ponto: insistir no início de atividades físicas. Está comprovado que iniciar atividades aeróbicas recupera de forma natural as ereções em pacientes com sobrepeso. Essa prática é particularmente mais importante nos diabéticos, porque o exercício atua positivamente em quase todos os complicadores do diabetes, além de reforça a libido e melhorar a performance física durantes as relações sexuais.

 

Os medicamentos orais (viagra, cialis, levitras etc) não atuam de forma tão eficiente quanto em pacientes não diabéticos. Assim, caso os fatores de risco do diabetes já estejam sobre controle ou em processo de melhoria e os medicamentos orais não apresentam resposta satisfatória, é preciso buscar associação de terapias e preparar o espírito para condutas mais agressivas sejam tomadas para que as ereções voltem a ocorrer.

 

Desta forma, o diabetes pode ser muito agressivo para as ereções e sua estabilização e controle dos problemas associados deve ser rigoroso para que o tratamento possa ser efetivo de forma simples por mais tempo.

 

Informação Extra:Como Identificar se o Problema é Impotência Sexual

 

A impotência sexual é a incapacidade ou dificuldade em ter ou em manter uma ereção do pênis que permita ter uma relação sexual satisfatória com penetração.

 

Este é um problema que pode afetar homens em qualquer idade, porém ele é mais comum em homens após os 50 que prejudica não só a vida sexual, mas a saúde psicológica e social.

 

Além da dificuldade em ter ou em manter uma ereção rígida o suficiente para uma penetração em mais de 50 % das tentativas, é importante ficar atento ao surgimento dos seguintes sintomas: 

 

  • Dificuldade para ter ou manter uma ereção;
  • Ereções progressivamente menos rígidas;
  • Redução do tamanho do órgão sexual;
  • Curvatura ou deformidades do pênis;
  • Dificuldade em manter contato íntimo em algumas posições sexuais;
  • Maior necessidade de concentração e tempo para conseguir a ereção; 
  • Diminuição dos pelos corporais e do número de ereções espontâneas ao acordar;
  • Ejaculação rápida ou precoce, que antes não existia; 

 

Leia Mais

Impotência e Doença de Peyronie. Um Guia sobre como e onde Tratar

Disfunção erétil e impotência. Porque surgiu e como melhorar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *